Sobre os ciclos e as mudanças

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018


Quem me acompanha aqui desde o início, sabe que além de conteúdo sobre moda, decoração e outros tantos que eu amo pesquisar e escrever, também falo um pouco de mim, mas ultimamente, com a vida corrida e muito trabalho, acabo dando prioridade para assuntos mais relevantes.

Perto do meu último aniversário, tive vontade de escrever um pouco sobre o que tava sentindo e resolvi publicar aqui hoje (mais de 1 mês depois), porque acredito que muita gente deve passar por momentos assim, mas não têm a menor ideia que isso é mais comum do que imaginam. Então, senta, que lá vem a história… (quem é da minha época conhece bem essa frase…rs)

“Quando estava prestes a completar 30 anos, minha vida começou a dar sinais de que grandes mudanças estavam para acontecer. Era tão gritante que lembro de ter ‘visualizado’ como seria o futuro, mas na verdade eu não tinha a menor ideia do que estava por vir. A única certeza era que muita coisa mudaria a partir dali.

Chegando perto dos 40 (isso mesmo, dia 01/11 entrei nos ‘ENTA’!), comecei a sentir a mesma coisa, mas de uma forma tão mais intensa, que me assustou.

Foram mudanças na percepção da vida, mudanças de comportamento, busca por um estilo de vida mais leve, qualidade nas relações e em tudo que me move: no trabalho, na alimentação, na saúde, no meu bem-estar…

Maturidade foi uma palavra que veio bem forte nesse etapa. Já não me satisfaço com qualquer coisa, com qualquer bobagem. Seletiva, exigente? Acho que sim. A vida ensina e só não aprende quem não quer. Tenho buscado aprender com todos os meus sucessos e tropeços, mesmo que doa. Fácil? Nem um pouco… Mas, esse autoconhecimento, que se fortalece a cada minuto, me faz seguir em frente sempre em busca de novas descobertas sobre mim mesma e o mundo ao meu redor.

Os 40 chegaram e estou e pronta pra viver mais uma grande mudança! Já sinto ela bem próxima…’

Encerrar ciclos é fundamental e tão maravilhoso, gente! Afinal, vontades mudam, objetivos de vida se renovam, sentimentos acabam ou se transformam, e ficar preso no passado nos faz perder as infinitas possibilidades que ainda temos para vivenciar. Já parou pra pensar nisso?

Texto: Luciana Caram | Imagens: Unsplash


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *