Seja sua melhor versão

“Mudar… (30 de maio de 2014 às 10:51)

E de repente, você que tinha encontrado seu caminho, se vê perdida no meio dele. Quem sou eu? Onde estou? Pra onde vou?

Pois é… Nem sempre o caminho certo é o caminho mais fácil… Muitas vezes, podem aparecer nele obstáculos que você vai achar difíceis de transpor, mas pode ser apenas uma maneira da vida te mostrar que algo precisa ser mudado, quem sabe você…

E então, começam os questionamentos… Onde estou errando? O que mais posso fazer? É preguiça, é medo? Fiz as escolhas erradas?

Essas respostas podem vir num piscar de olhos, mas podem demorar um tempo para chegar. Talvez porque você tenha medo de encontrá-las, talvez porque esteja tão perdido que não consiga ver a luz no fim do túnel ou porque é necessário esse tempo em busca delas para se redescobrir e se reencontrar.

Amigos são importantes, família e namorado também, mas tem momentos em que é preciso ficar só para que as coisas fiquem mais claras, para que você entre para dentro de si e faça as descobertas necessárias para que as mudanças aconteçam. Por quanto tempo, só você vai saber. Não se cobre e não deixe os outros te cobrarem. Sim, é difícil, mas esse é um momento só seu e nada nem ninguém pode te atrapalhar. Portanto, permita-se viver essa experiência!

E não se engane, isso pode acontecer em qualquer época de sua vida, até quando achar que tudo está indo muito bem em todas as áreas. A verdade é que quando esse momento chega é sinal de algo precisa ser mudado, e pra melhor.”

Bem inspirador, né? Escrevi essa nota no Facebook há 2 anos atrás e lendo novamente em uma das lembranças da rede social fiquei pensando que é interessante como as coisas mudam, como a gente muda e como essas mudanças nos transformam em seres mais abertos para as possibilidades que a vida tem a oferecer. Bom, pelo menos tem sido assim comigo.

Já vivenciei muitas transformações no decorrer da minha trajetória pessoal. E pensar que quando mais jovem, não cansava de repetir a frase mais absurda da história: “Eu sou assim e não vou mudar.”

Muitos são os motivos para não sairmos do lugar. O mais comum, e que a gente não costuma assumir, é o medo. Sim, medo de mudar! E por quê? Porque mudar dói, mudar traz desconforto e não é fácil. Tem que querer muito e se esforçar para ser cada dia uma melhor versão de si.

No meu caso, tive medo (muito), bloqueios emocionais que me impediam e até questões biológicas que eu não tinha a menor ideia que existiam e aconteciam comigo. Até que um dia, indo contra mim mesma, mas ao mesmo tempo muito a favor, decidi entrar na terapia. E foi o primeiro passo para o meu autoconhecimento.

Conheci várias técnicas com os diversos profissionais que me ajudaram nesse caminho, até que me vi procurando um psiquiatra, pois algo ainda estava faltando… E o que descobri foi uma distimia, que me deixava emocionalmente instavél, apesar de todo o conhecimento e aprendizado terapêutico.

sejaautentica-autoestima-autoconhecimento-mudancas-Superela-Luciana-Caram-001

Sempre fui contra tomar remédios psiquiátricos, afinal, acreditava que era coisa para louco e que de nada resolveria, apenas taparia o sol com a peneira, camuflando meus problemas e me tirando o que tenho de mais importante: a minha personalidade. Meu medo maior era viver alienada, ainda com meus problemas, mas achando que tudo estava bem. Grande engano e mais um grande aprendizado.

Vocês devem estar se perguntando o porquê de eu estar contando minha história aqui. É que hoje, com a soma das duas ferramentas (terapia e medicamento psiquiátrico), vejo que o caminho para gente ser feliz de verdade, apesar de todos os medos e obstáculos que vão existi sempre, é se permitir. Se permita mudar, sentir e querer ir além, afinal, se você não fizer isso, ninguém fará por você.

Bora ser feliz?

Texto: Luciana Caram, Consultora de Moda, Estilo e Marketing Digital para o site Superela | Imagens: Revista Crescer, Giphy

em julho 2, 2017 Comente


Deixe seu comentário