Arte comum

Quando nos interessamos por moda, estamos nos interessando por arte. A arte que envolve os tecidos e materiais escolhidos, os desenhos das silhuetas, os acabamentos impecáveis e as formas bem desenhadas. Mas, para meu entendimento, a arte é para todos, então, em consequência, a moda também.

Acompanho o trabalho da marca Benetton há tempos, que sempre usou de inovação em suas campanhas, e talvez seja ela a responsável por trazer a ideia de que a “moda é para todos”, colocando em sua campanha de 2010 modelos comuns, assim como nós, para posar para seus grandes fotógrafos.

Este ano, outra marca que sempre inova em suas divulgações publicitárias, percebeu que a moda está justamente nessas pessoas “reais”, as de cabelos esquisitos, de corpos nada esculturais e esbeltos, de diferentes raças e histórias.

A Lavin trouxe para a campanha de inverno 2013 modelos que poderíamos chamar de “pessoas comuns”, pessoas com idade entre 18 e 80 anos, de diferentes áreas profissionais, de vidas diferentes, que foram convidadas enquanto andavam pelas ruas de Nova Iorque e fotografadas pelo famoso fotógrafo Steven Meisel numa campanha linda e elegante. A ideia do estilista da marca, Alber Elbaz, é levar a moda para as ruas e reaproximar a moda de todos, ou pelo menos, de alguns.

Texto: Luna Siqueira, trabalha com design gráfico, apaixonada por cores, formas e tipografia, e nossa colaboradora | Imagens: Divulgação

em julho 26, 2012 Comente (4)
FacebookTwitterGoogle+Pinterest


4 Comentários em “Arte comum”

Deixe seu comentário